Página do Projecto RCAAP (Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal)

Nota à navegação com tecnologias de apoio: nesta página encontra 3 elementos principais: menu principal (tecla de atalho 1); menu de acções RCAAP (tecla de atalho 2) e conteúdo principal (tecla de atalho 3).

News | RCAAP - Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal

Mais de 25000 documentos no Repositório Comum

O Repositório Comum, serviço disponibilizado pelo Projeto RCAAP inicia o ano de 2020 com mais de 25000 registos depositados de 78 instituições aderentes.

Este repositório tem como propósito o depósito de produção científica por parte das instituições que não disponibilizam aos seus investigadores um repositório institucional para esse efeito.

Este serviço, disponibilizado em 2009 à Comunidade, é um dos que mais cresce face aos restantes no âmbito do Projeto RCAAP. Para que se perceba a evolução, no final de 2009 o número total de depósitos foi de 448 registos, em 2019 foi de 4789. Estes números representam a pertinência e maturidade deste serviço no seio da Comunidade.

Indiscutivelmente que os repositórios institucionais e as revistas científicas são parte integrante e de relevo do ecossitema de gestão da ciência.
O Repositório Comum não é exceção!
Porém, certamente, só o são devido ao esforço e colaboração de todos os interveninetes nos workflows deste repositório que muito contribuem para este sucesso que, por sua vez, fazem com que o acesso à informação e ao conhecimento seja de vital importância para o progresso do ensino e da investigação mas também para o desenvolvimento sustentável da sociedade.

Aderir ao Repositório Comum converte-se numa forma rápida e célere de se associarem ao movimento do Acesso Aberto, integrar o Projeto RCAAP e de ter acesso a ferramentas, contextos e experiências para servir de base a um repositório próprio, para além da visibilidade e impacto que esta integração acarreta para a produção científica dos próprios autores.

Contudo, acreditamos que podemos continuar a crescer. Para tal, desafiamos a Comunidade a consultarpartilhar e questionar ainda mais o projeto RCAAP.